Safra de grãos é estimada em até 227,5 milhões de toneladas.

Sexta-feira, 17 de novembro de 2017 às 9h 34

Companhia Nacional de Abastecimento ajustou para baixo sua estimativa para a safra de grãos 2017/2018, no segundo relatório referente ao atual ciclo, divulgado nesta quinta-feira (9/11). A colheita deve ficar entre 223,295 milhões e 227,537 milhões de toneladas, uma queda entre 4,4% e 6,2% em relação ao ciclo passado, estimado em 238,013 milhões.

No relatório anterior, divulgado em outubro, a Conab tinha estimado uma produção entre 224 e 228 milhões de toneladas de grãos. Neste mês, os técnicos mantêm a avaliação de que as boas condições climáticas da safra 2016/2017 não vão se repetir. Com isso a produtividade será menor. 

As lavouras de soja devem render algo entre 106,438 milhões e 108,639 milhões de toneladas. Dependendo do que se confirmar, pode ser uma queda de 4,8% a 6,7% em relação ao ciclo 2016/2017, quando a colheita bateu o recorde de 114 milhões de toneladas da oleaginosa.

A produção de milho deve ser até 6,3% menor, a depender do cenário. Somando o primeiro e o segundo ciclo anual, o volume deve variar de 91,631 milhões e 93,053 milhões de toneladas.

Só a primeira safra do cereal deve ter uma redução entre 15% e 19,7%, de acordo com os técnicos da Conab. Não apenas pela expectativa de produtividade menor, mas também pelo cenário de mercado, com preços menores que o da mesma época no ano passado. As lavouras devem render entre 24,460 milhões e 25,882 milhões de toneladas.

Para a segunda safra, a perspectiva da Conab é de uma produção praticamente estável em relação ao ciclo passado, com uma diminuição de apenas 0,3%. A estimativa é de uma colheita de 67,170 milhões de toneladas.

A produção brasileira de arroz deve cair até 6,3% no ciclo 2017/2018. Somando as lavouras irrigadas e de sequeiro, a colheita é estimada entre 11,553 milhões e 11,869 milhões de toneladas.

Situação semelhante e prevista para o feijão, somando os três ciclos anuais da cultura. Considerando as lavouras de feijão de cores, preto e caupi, devem ser colhidos entre 3,238 milhões (-4,7%) e 3,297 milhões de toneladas (-3%).

A exceção entre as principais culturas deve ser o algodão, acreditam os técnicos da Conab. A produção deve ter um aumento entre 5% e 15% em relação à safra 2016/2017, de acordo com o relatório de acompanhamento de safra.

O volume em caroço deve variar entre 2,418 milhões (+5,2%) e 2,643 milhões de toneladas (+15%).  O volume em pluma deve ficar entre 1,614 milhão (+5,5%) e 1,763 milhão de toneladas (+15,3%).

A área total plantada no Brasil deve variar de 60,910 milhões a 62,069 milhões de hectares, o que,s e confirmado, será um crescimento de 1,9% em relação à superfície semeada no ciclo 2016/2017, de 60,890 milhões de hectares.

 

http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/noticia/2017/11/safra-de-graos-e-estimada-em-ate-2275-milhoes-de-toneladas.html